Em debate acalorado na sessão ordinária realizada na noite desta quinta-feira(01), a vereadora Daiane Severina(Podemos), rebateu as duras críticas feitas pelo presidente da Câmara Municipal, Arlivan Pimentel(PR).

Em discurso na tribuna, o presidente Arlivan atribuiu o insucesso de sua reeleição por ter sido apunhalado pelas costas pelos vereadores Evandro Miranda(Podemos) e Daiane Pereira.

Durante o debate, Daiane rebateu as críticas do presidente, afirmando nunca ter garantido apoio à sua reeleição. De acordo  a vereadora, o prefeito Joãozinho a expulsou do seu grupo político após não atender sua ordem para votar na reeleição de Arlivan, através de escrutínio realizado no 24 de agosto e suspenso arbitrariamente pelo presidente. Ainda segundo a edil, como retaliação, o prefeito exonerou da gestão algumas pessoas indicadas por ela.

Daiane elevou o tom e disse que o prefeito Joãozinho também expulsou do grupo político o seu colega de partido vereador Evandro Miranda. Segundo a vereadora, Evandro também se negou a votar na reeleição de Arlivan e como castigo foi punido com afastamento de algumas pessoas.

Na eleição realizada em agosto, Evandro recebeu o apoio dos três vereadores da oposição: Nilton Moreira(PSDB), Raimundo Ferreira(MDB) e Adilton Maia(PSB), além do apoio de Daiane, para ser presidente. Mas, de forma arbitrária, o presidente Arlivan, percebendo a derrota iminente, suspendeu o processo de votação após 7(sete) dos 9(nove) vereadores terem votado.

“Lamento a retaliação do prefeito, tentando me atingir, exonerando pais de famílias. Pessoas que votaram em me e nele, e são perseguidas e humilhados”, declarou a vereadora.

Com saída de Evandro e Daiane, a bancada do prefeito Joãozinho encolhe de 6(seis) para 4(quatro) vereadores.