Resultado de imagem para canal do sertão

O Diário Oficial da União publicou o edital para o projeto básico da 1ª etapa do Canal do Sertão Baiano. “É o primeiro passo firme para levar água e garantir o desenvolvimento de uma região que reúne 44 municípios e onde vivem mais de 1,5 milhão de baianos”, afirma o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA). 

A obra é uma das principais bandeiras do atual mandato de Aleluia. No ano passado, ele conseguiu incluir no orçamento da União recursos da ordem de R$ 15 milhões, que somados a uma emenda articulada com a bancada baiana, vão custear o projeto básico desta primeira etapa.  

Aleluia lembra que, quando iniciou a articulação junto ao governo e à bancada baiana, o projeto do Canal do Sertão Baiano estava abandonado, sem dotação de recursos e sem nenhuma esperança de seguir em frente.

“Assumimos o compromisso, conseguimos os recursos para o projeto básico e hoje esse sonho começa a virar realidade. Não se trata de uma obra eleitoreira para a próxima eleição, mas de um projeto de longo prazo que é sem dúvida a maior intervenção no interior baiano das últimas décadas”, garante o deputado.

O parlamentar baiano observa que é um equívoco dizer que não há água no Rio São Francisco para o Canal. “Embora esteja atualmente em estado crítico, a vazão média do Velho Chico é de 1,8 mil metros cúbicos por segundo. Para o Canal, será preciso retirar 20 metros cúbicos por segundo, que não são permanentes”.

Aleluia ressalta que o projeto do Canal está associado à implantação de um programa eficaz de revitalização do São Francisco, que evite a queda da vazão do rio a situações críticas como a atual. 

“Esta semana expus ao ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, a proposta de criação de uma autoridade do Vale do São Francisco para justamente, com recursos da energia gerada nas usinas do rio, investir na revitalização, promover o desenvolvimento e gerir projetos”. A proposta de Aleluia se inspira na Autoridade do Vale do Tennessee, agência americana que realiza há anos com sucesso esse papel nos EUA.

Também chamado de Eixo Sul da Transposição do Rio São Francisco, o Canal do Sertão Baiano é um sistema adutor de multiuso com captação na margem direita do Rio São Francisco, que tem por finalidade reforçar o suprimento de água das bacias hidrográficas dos rios Salitre, Paraguaçu, Jacuípe, Curaçá-Vargem, Macururê, Tourão-Poções, Itapicuru e Vaza-Barris.

Ao todo, 44 municípios serão beneficiados com a obra que também assegura a implantação total dos 30 mil hectares do Projeto Salitre de Irrigação, e não apenas os atuais cinco mil hectares. “É importante ressaltar que não estamos apenas assegurando o abastecimento humano, mas criando condições de desenvolvimento social e econômico de uma região massacrada pela seca. O legado dessa obra para a região pode ser determinante para o futuro de todo o estado”, comemorou Aleluia.

Confira a lista das cidades que serão impactadas pelo projeto:

Andorinha, Antônio Gonçalves, Caém, Caldeirão Grande, Campo Formoso, Capim Grosso, Filadélfia, Itiúba, Jacobina, Jaguari, Miguel Calmon, Mirangaba, Pindobaçu, Ponto Novo, Queimadas, Quixabeira, Santaluz, São Domingos, Valente, Senhor do Bonfim, Serrolândia, Candeal, Capela do Alto, Alegre, Gavião, Ichu, Mairi, Morro do Chapéu, Mundo Novo, Nova Fátima, Pé de Serra, Pintadas, Piritiba, Riachão do Jacuípe, São José do Jacuípe, Tapiramutá, Saúde, Uauá, Várzea da Roça, Várzea do Poço, Ourolândia, Umburanas, Várzea Nova, Sobradinho e Juazeiro.